Gasolina e etanol mais caros; Curitiba amanhece com combustível em 81 postos

0
555
Foto: Adenilson Nunes

De um total de 340 postos de combustíveis de Curitiba, pelo menos 81 contavam com combustível à venda por volta das 8h desta terça-feira, indicando sinais de melhora no abastecimento, informa o Sindicombustíveis-PR.

“A distribuição é de responsabilidade das companhias distribuidoras. Deste modo, estas empresas podem informar de forma mais rápida o destino dos caminhões-tanque. Até o momento não recebemos esta listagem”, informou o sindicato em nota.

A entidade reforça o pedido de calma à população. A orientação é para que se abasteça somente o que irá utilizar nos próximos dias, uma vez que o fornecimento tende a se normalizar.

Postos na Rua Pedro Viriato Parigot de Souza com a Paulo Gorski, no bairro Mossunguê, e na Rua Raposo Tavares, no bairro Mercês, apresentavam pouca fila no início da manhã. Segundo frentista do posto no Mossunguê, foram 40 mil litros abastecidos para atender a população.

O que chama a atenção é que o preço do combustível está mais caro: no Mossunguê, a gasolina era vendida R$ 4,49/l, a aditivada R$ 4,79/l e o etanol a R$ 3,19/l. No posto das Mercês, a gasolina era cobrada R$ 4,6/l e a aditiva R$ 4,89/l.

Paraná

O Sindicombustíveis-PR obteve na noite desta segunda-feira (28) liminar da Justiça Estadual para a liberação da base de distribuição de Londrina, bloqueada pelos manifestantes. As bases de Curitiba, Maringá e Guarapuava já haviam sido motivo de decisões favoráveis da justiça neste mesmo sentido.

O polo distribuidor de Curitiba começou a ser desbloqueado nesta segunda-feira, numa operação da Polícia Militar. Maringá, Londrina e Guarapuava devem ser liberadas nas próximas horas, dependendo de planejamento da PM.

O sindicato aguarda ainda decisão sobre uma última liminar, para o centro de distribuição de Cascavel.

Quando todas estas quatro liberações tiverem sido realizadas, o abastecimento de combustível de todas as regiões do Paraná começará a ser retomado, informou.

O Estado conta com 2400 postos. Destes, 900 são associados do Sindicombustíveis-PR.

 

Fonte: Banda B.

Comentários